Publicidades

26/11/2017 | 19:27 | Esporte

Em jogo morno, Grêmio empata em 1 a 1 com o Atlético-GO na Arena

Lucas Poletto fez o gol gremista na partida

Lucas Uebel / Grêmio, Divulgação


O projeto de garantir o vice-campeonato passa a correr riscos depois da fraca atuação do time alternativo do Grêmio neste domingo, na Arena, contra o lanterna já rebaixado Atlético-GO. Com escassos momentos de superioridade, a equipe precisou acelerar o passo para garantir o empate em 1 a 1. 


Agora, será preciso esperar para que o Palmeiras não derrote o Botafogo nesta segunda, quando será fechada a penúltima rodada do Brasileirão. Os titulares, que decidirão na quarta (29) a Libertadores, assistiram ao jogo das cadeiras da Arena. 


Uma participação do volante Machado sintetiza a precariedade técnica do primeiro tempo. Aos 30 minutos, quase sobre a linha divisória do gramado, sem marcadores por perto, o volante, em vez de avançar, preferiu recuar a bola para o goleiro Paulo Victor. Como se não bastasse ter tomado a decisão errada, fez um passe tão torto que a bola saiu a escanteio. Renato, inconformado, abriu os braços, em forma de protesto.


Decepcionante quase todas as vezes em que foi escalado na temporada, o time reserva do Grêmio desta vez cometeu ainda o pecado de mostrar desinteresse pelo jogo. A ponto de permitir que o adversário se adonasse da partida, tendo as melhores chances para marcar.


Não fosse a falha do zagueiro Gilvan, aos 24 minutos, ao perder a bola dentro da área para Kaio, que chutou muito alto,  o Grêmio teria finalizado a primeira etapa sem arrematar. Tanto que, muito cedo, Renato ordenou que os jogadores reservas deixassem a casamata e fossem para o aquecimento. 


Não houve acerto pelos lados, nem pelo meio. Os laterais Leonardo e Conrado não tiveram capacidade de apoio, Cristian desistiu de avançar, Machado assumiu os passes longos, mas de forma errada, e Beto da Silva e Patrick foram contidos sem problemas pelos marcadores. O que mais incomodou Renato, contudo, foi a aparente falta de vontade. Não fosse a ação de Paulo Victor, o Atlético-GO marcaria seu gol a 27 minutos, em chute de Diego Rosa. O time ainda arrematou com Gilvan e Igor.


Um pouco menos apático na segunda etapa, o Grêmio seguiu com dificuldades de criação. Lucas Poletto, colocado por Renato no lugar de Cristian, desperdiçou chance a cinco minutos, ao chegar atrasado em cruzamento de Dionathã. A oportunidade seguinte só surgiu aos 15, quando Thyere, depois de escanteio, subiu com estilo e cabeceou para defesa de Kléver.


Uma falha defensiva permitiu que Andrigo, a 24 minutos, fizesse 1 a 0 para o Atlético-GO. O torcedor teria motivos para ir embora mais cedo não fosse a fulminante reação. Depois de escanteio, Thyere cabeceou para defesa parcial de Kléver e, na sobra, Lucas Poletto, filho de Paulo Roberto, lateral-direito campeão da Libertadores e mundial de 1983,  também de cabeça, empurrou para a rede e empatou.


Ainda haveria novas tentativas, em que a disposição foi acompanhada pelos desacertos de conclusão. A torcida, com a cabeça na decisão da Libertadores, perdoou os jogadores e foi embora.

Fonte: Gaúcha ZH

Mais notícias desta categoria

Publicidades


Mario Junior designer