Publicidades

06/08/2018 | 22:36 | Esporte

Em jogo marcado por granizo e apagão, Inter vence o Atlético-MG e se aproxima do líder

Com o resultado, a equipe de Odair Hellmann está a três pontos do São Paulo

Inter: vitória inédita no Horto (Ricardo Duarte / Inter)


Parecia um roteiro de filme. Foi preciso um jogo atípico, com chuvarada, queda de granizo e da energia do estádio, para que o Inter conquistasse a sua primeira vitória na história da Arena Independência. Além disso, o triunfo colorado por 1 a 0 saiu com um gol de um neo-goleador: o volante Edenilson. Com os três pontos de Belo Horizonte, o Inter voltou a ocupar a terceira colocação, somente três pontos atrás do líder, São Paulo - e poderá assumir a ponta da tabela na próxima rodada. O Inter volta acampo de novo na segunda-feira. No Maracanã, diante do Fluminense, no penúltimo jogo do primeiro turno.


Após um começo de jogo um tanto confuso, o Inter conseguiu se acertar em campo somente depois dos 10 minutos. Antes disso, chegou a ceder dois lances perigosos aos mineiros. Com a Arena Independência cheia, o Atlético-MG começou a ganhar corpo, se sentir seguro, e atacar um Inter que só fazia se defender e dar chutões. O setor ofensivo colorado não funcionava. Poucas vezes neste Brasileirão, meio-campo e ataque pareceram tão desconectados.


Aos 24 minutos, uma entrada forte de Elias em Rodrigo Dourado por pouco não tirou o capitão colorado do jogo. Nos bastidores, o Inter tinha algum receio com relação ao jogo. Ao final da manhã, a liberação de Elias e de Matheus Galdezani, via efeito suspensivo, para reforçar o Atlético-MG, causou estranheza entre a direção colorada. O auditor que liberou  a dupla é Mauro Marcelo de Lima e Silva, o mesmo que ofereceu denúncia ao Inter no Caso Victor Ramos, no ano passado.


Uma pequena amostra do fraco poderio ofensivo do Inter no Horto foi que o primeiro escanteio colorado saiu somente aos 31 minutos - e foi desperdiçado. Aos 34, enfim, uma boa costura no ataque. Nico López encontrou Jonatan Alvez na área, e o uruguaio escorou para William Pottker que, de frente para o gol, mandou por cima. O primeiro tempo chegou ao fim com um Inter mais equilibrado em campo, mas sem causar maiores preocupações á defesa mineira.


No segundo tempo, sob intensa chuva, o Inter passou a ser pressionado pelos donos da casa. Aos sete minutos, o jogo foi paralisado devido ao granizo, com generosas pedras de gelo despencando sobre o Independência. Com o granizo caindo por 10 minutos, o gramado do estádio ficou parecendo algum campo europeu em noite de neve. Os atletas correram para as casamatas, esperando o bombardeio passar. 


Na retomada da partida, já sem as pedrinhas, mas ainda sob forte chuva, foi a vez de uma segunda interrupção: faltou luz no Independência. Nunca um Atlético-MG e Inter foi tão conturbado. Desta vez, porém, todos os jogadores rumaram para os vestiários. 


Às 21h38min, quando o clássico deveria estar quase acabando, a partida foi reiniciada, depois de 22 minutos de paralisação. Com apenas oito minutos com bola rolando no segundo tempo (e 30 minutos com o cronômetro corrido), sem granizo e sem chuva, o jogo foi retomado (de novo). O Atlético-MG seguiu em cima do Inter. Chará, de fora da área, só não marcou porque Lomba fez grande defesa. 


Com Rossi no lugar de Jonatan Alvez, Odair Hellmann tentou deixar o Inter mais agressivo no ataque. E, logo após a troca, Nico quase marcou. O uruguaio bateu forte, cara a cara com Victor, mas o zagueiro Maidana conseguiu impedir que a bola chegasse ao gol. Em seguida, Maidana foi ao ataque, bateu de fora da área, e Lomba buscou no ângulo. 


O jogo ficou aberto e, por pouco, o Inter não sofreu um gol de contra-ataque. Ricardo Oliveira disparou contra a defesa e passou para Terans, que bateu cruzado, para fora.  


Aos 56 minutos, um inusitado artilheiro surgiu. Uma falta cobrada rapidamente, Patrick escorou com o peito, onde Edenilson entrou em velocidade em meio aos zagueiros e bateu no canto esquerdo de Victor: Inter 1 a 0.  


D'Alessandro foi a campo nos minutos finais para ajudar a segurar o placar colorado. Deu certo. Em um clássico pitoresco, o Inter ganhou pela primeira vez no Horto, e se enraizou no G-4 do Brasileirão.


BRASILEIRÃO - 17ª RODADA - 6/8/2018


ATLÉTICO-MG


Victor; Emerson, Léo Silva, Maidana e Carlos Gabriel (Lucas Cândido, 57'/2°); Zé Welison (A), Elias (Nathan, 51'/2°), Matheus Galdezani (Terans, 43'/2º), Luan e Chará;Ricardo Oliveira.


Técnico: Thiago Larghi.


INTER


Marcelo Lomba; Fabiano, Rodrigo Moledo, Victor Cuesta e Iago (A); Rodrigo Dourado, Edenilson, Nico López (D'Alessandro, 66'/2°), Patrick e William Pottker (Lucca, 70'/2º); Jonatan Alvez (Rossi, 39'/2º).


Técnico: Odair Hellmann.


Gols: Edenilson (I), aos 56min do segundo tempo.


Renda: R$ 334.995.


Público: 22.035 torcedores.


Arbitragem: Jailson Macedo Freitas, auxiliado por Alessandro Rocha de Matos e Elicarlos Franco de Oliveira (trio baiano).


Local: Arena Independência, em Belo Horizonte (MG).


PRÓXIMO JOGO


13/8/2018 - Segunda-feira - 20h


Fluminense x Inter

Fonte: Gaúcha ZH

Mais notícias desta categoria

Publicidades


Mario Junior designer