Publicidades

06/09/2018 | 00:00 | Esporte

Inter vence o Flamengo e assume a liderança do Brasileirão

William Pottker e Rodrigo Dourado marcaram os gols colorados no Beira-Rio

Pottker abriu o placar no começo da partida (Carlos Macedo / Agencia RBS)


Com uma atuação consistente, o Inter passou invicto pelo seu terceiro clássico em sequência. E, dessa vez, com vitória e liderança do Campeonato Brasileiro. O 2 a 1 sobre o Flamengo, no Beira-Rio, combinado com a derrota do São Paulo para o Atlético-MG, em Belo Horizonte, deu ao Inter a primeira colocação no Brasileirão. No domingo, mais um clássico, agora, o Gre-Nal, no Beira-Rio. O lateral-esquerdo Iago, suspenso, é o único desfalque colorado.


A lição aprendida no 0 a 0 com o Palmeiras fez bem ao Inter. Ao contrário daquela partida, a equipe de Odair Hellmann foi para cima do Flamengo já nos primeiros minutos. Os cariocas nem bem haviam passado do meio-campo quando Edenilson recebeu a bola na intermediária e lançou para a área. Pottker, na risca da pequena área, matou a bola no peito, ela escapou, bateu às costas de Léo Duarte, e voltou para Pottker que, em um giro, mandou no ângulo de Diego Alves.


O 1 a 0 logo aos cinco minutos, combinado com um gol também relâmpago do Atlético-MG no São Paulo, estava dando ainda no começo da noite a liderança do Brasileirão ao Inter. O Beira-Rio virou uma festa só. O Flamengo em crise tentou a reação imediata ao gol e até conseguiu equilibrar as ações em campo. Mas por pouco tempo. Não demorou para que os donos da casa voltasse à carga — e com um grito uníssono de incentivo desde as arquibancadas. 


Aos 21 minutos, por pouco o Flamengo não empata. Vitinho cruzo na pequena área, a defesa ficou olhando, Zeca estava fora de lugar, e Marlos Moreno cabeceou sozinho, cara a cara com o ex-Flamengo Marcelo Lomba, que fez uma defesa salvadora. Dois minutos depois, Moreno de novo cabeceou sozinho (agora com falha de Cuesta), e Lomba buscou uma vez mais. Os cariocas começavam a sair para a noite de Porto Alegre, enquanto que o Inter dava um tempo na pressão.


O primeiro tempo correu para o fim com o Flamengo dominando as ações e não permitindo ao Inter sequer manter a posse de bola. O Inter cedia campo de forma perigosa aos visitantes. 


Na segunda etapa, o Inter perdeu a chance de ampliar aos quatro minutos. Dourado lançou Nico, que invadiu a área e bateu na saída de Diego Alves. Por cima do travessão. Um minuto depois, cruzamento de Zeca, a bola caiu no pé de Patrick, que concluiu  com violência a gol - para grande defesa do goleiro do Flamengo. O Inter havia retomado o futebol do início do clássico.


Aos 11 minutos, porém, a invencibilidade da defesa colorada caiu com a "Maldição do Ex". Vitinho recebeu na entrada da área e mandou uma bomba - daquelas que costumava a fazer em 2016 pelo Inter -, a bola acertou o travessão, caiu dentro do gol e saiu. Lá se foram 742 minutos sem sofrer gol. 


O 1 a 1 tirou o Inter da liderança do Brasileirão. Mas, dois minutos depois, Nico cobrou escanteio, e Rodrigo Dourado subiu para acertar uma cabeceio indefensável até para Diego Alves: um 2 a 1 a jato. Depois desse terceiro gol, o jogo ficou intenso em alguns momentos, com lances desperdiçados de área à área. 


Já com Fabiano e D'Alessandro em campo, Odair Hellmann tentou controlar mais o Flamengo e cadenciar a partida. O Flamengo conseguiu construir boas ações ofensiva, mas sem invadir a área. Tentava o empate a chutões de fora da área. 


Deu certo. O Inter manteve a posse de bola o suficiente para manter a vantagem no placar, voltar a vencer, e contar com a ajuda do Atlético-MG para vencer o São Paulo, assumindo a liderança pela primeira vez na temporada — e algo que não ocorria desde a oitava rodada do Brasileirão de 2016.

Fonte: Gaúcha ZH

Mais notícias desta categoria

Publicidades


Mario Junior designer