Publicidades

03/10/2018 | 05:40 | Esporte

Grêmio goleia o Atlético Tucumán e está na semifinal da Libertadores

Luan, Cícero, Sánchez (contra) e Jael marcaram, e Tricolor pega o River Plate na próxima fase

Fernando Gomes / Agencia RBS


Pela nona vez, o Grêmio disputará uma semifinal de Libertadores. Na noite desta terça-feira (2), na frente de mais de 47 mil torcedores na Arena, com toda a facilidade que se previa, o time de Renato Portaluppi fez 4 a 0 no argentino Tucumán, a quem já havia vencido no primeiro jogo. O River Plate, que bateu ao Independiente por 3 a 1, será o adversário no caminho da final. As datas prováveis para os dois jogos são 24 e 31 de outubro. Dono da melhor campanha, o Grêmio de novo decidirá em casa.


Quase um franco atirador, por ser obrigado a reverter uma vantagem de dois gols obtida pelo Grêmio na partida de ida, o Tucumán criou mais dificuldades do que o imaginado nos primeiros minutos de jogo. Acosta, em dois momentos, a três e 11 minutos, levou perigo em arremates de longa distância. No segundo, seu chute atingiu de raspão a trave esquerda.


A facilidade argentina para atacar se explicava pela proposta nitidamente ofensiva do Grêmio, que contava com Matheus Henrique no lugar de Ramiro, preservado por desconforto muscular e, ao atuar sem referência na frente, dava liberdade aos volantes do Tucumán. 


Só que havia Luan para desequilibrar. Inspirado, ele foi o criador que havia algum tempo a torcida não via em ação. Aplicado, moveu-se de um lado a outro, arrastando os marcadores. Aos 17 minutos, teve coragem para dividir com a marcação e deu a Everton, que bateu com perigo. No primeiro gol do Grêmio, ele esteve na origem e conclusão de todo o lance. Aos 35 minutos, após levar a marcação do lado esquerdo para dentro, ele abriu na direita para Léo Moura. O cruzamento, bem executado, encontrou a cabeça de Thaciano, que ajeito para Luan completar sem goleiro: 1 a 0.


O melhor jogador da América em 2017 desequilibrou outra vez no segundo gol. Seu lançamento, feito ainda do campo do Grêmio, encontrou Alisson com liberdade na direita. O atacante investiu na direção da área e sofreu pênalti do goleiro Lucchetti. A cobrança demorou cinco minutos, porque o árbitro chileno Roberto Tobar ainda consultou o VAR, o que determinou a expulsão do argentino. Colocado em campo no lugar de Barbona, o goleiro reserva Sánchez foi vencido, na cobrança, pelo chute de Cícero, que deixou o marcador em 2 a 0 e definiu o resultado do campo ainda na primeira etapa. 


A festa prosseguiu na segunda etapa, dentro e fora do campo. E ainda tendo Luan como principal protagonista. Aos sete minutos, após receber de Luan, ele fez passe na medida para Alisson, que acertou chute rasteiro, que contou com a desastrada participação do goleiro para entrar: 3 a 0. A Conmebol oficializou o gol contra de Alejandro Sánchez.


A superioridade era tão estrondosa que o time se permitiu, em alguns momentos, ser displicente. Aos 13 minutos, depois de contra-ataque puxado por Matheus Henrique, Luan deixou Cabral caído com seu drible e serviu a Alisson, que desperdiçou ao chutar sobre Abero. A partida, em muitos momentos, fazia lembrar um confronto entre uma equipe profissional  e outra de iniciantes, tamanha a diferença de qualidade técnica. Léo Moura e Cortez atacavam com liberdade, Luan seguia passeando sua técnica pelo gramado e Matheus Henrique e Thaciano, desobrigados de marcar, só atacavam. Renato deu um descanso a Everton e promoveu a volta de Jael, após 22 dias de parada por artroscopia no joelho direito.  


Quando Douglas e Paulo Miranda entraram, este para preservar Kannemann do risco de levar o terceiro cartão amarelo e ficar fora da primeira partida contra o River, já não havia mais nada a ser feito dentro de campo. Nas cadeiras, a torcida se deliciava com a troca de passes.


Nos minutos finais, Jael sofreu mais um pênalti. O próprio centroavante bateu, deslocou o goleiro e fechou o placar.

Fonte: Gaúcha ZH

Mais notícias desta categoria

Publicidades


Mario Junior designer