Publicidades

07/10/2018 | 16:53 | Geral

Mais de 100 pessoas são presas por crimes eleitorais e por lesão corporal no RS

Conforme dados da Brigada Militar (BM), até às 16h30, 109 pessoas haviam sido detidas. Em Viamão, na Região Metropolitana, um eleitor agrediu o presidente de mesa

No Instituto Estadual de Educação Isabel de Espanha, em Viamão, um eleitor agrediu o presidente de mesa, puxando o crachá dele ? Carol Anchieta/ RBS T


Durante o domingo (7) de eleições no Rio Grande do Sul, pessoas foram presas por crimes eleitorais e por lesão corporal. Conforme dados da Brigada Militar (BM), até às 16h30, 109 pessoas haviam sido detidas.


Em Viamão, na Região Metropolitana, um eleitor agrediu o presidente de mesa, puxando o crachá dele. O fato ocorreu no Instituto Estadual de Educação Isabel de Espanha. O motivo da agressão teria sido porque o mesário não permitiu que o filho do eleitor entrasse na cabine, conforme o Tribunal Regional Eleitoral (TRE). O eleitor foi conduzido para a delegacia.


Outras duas prisões ocorreram em Sobradinho, na Região Central do Rio Grande do Sul, devido propaganda irregular e desobediência a ordem da Justiça Eleitoral. Uma das prisões foi do presidente do PT no município. Ele havia sido notificado na quinta-feira (4) por portar material de campanha irregular, o que voltou a acontecer na manhã deste domingo.


O presidente foi detido perto da seção de votação no Clube Comercial, no Centro da cidade. Por tratar-se de crime de menor potencial ofensivo, ele foi liberado após ser feito o registro na delegacia. O G1 tenta contato com assessoria do partido.


Quatro prisões devido boca de urna foram efetuadas em Portão, Cachoeirinha e Sapiranga. Outras seis pessoas foram presas em Santana do Livramento e em Estrela devido apreensões de materiais em desacordo com as normas eleitorais. Também em Estrela, uma pessoa foi presa em flagrante por transporte irregular de eleitores. Em Santiago, uma outra pessoa foi presa por propaganda eleitoral.


A Operação Eleições, realizada pela Brigada Militar, registra prisões por crimes como boca de urna e divulgação de propaganda. Além disso, foram feitas diversas apreensões de material irregular.

Fonte: G1

Mais notícias desta categoria

Publicidades


Mario Junior designer