Publicidades

28/08/2019 | 18:53 | Praia Notícias | Saúde

Dive-SC confirma caso de malária em Joinville

Paciente viajou para a África e voltou com sintomas. Locais onde mulher esteve estão sendo mapeados para ver se há risco de contágio

Fêmeas dos mosquitos do gênero Anopheles são os transmissores da malária ? Jim Gathany/CDC/Reuters


Joinville, no Norte catarinense, registrou um caso de malária, confirmou a Diretoria de Vigilância Epidemiológica (Dive-SC) nesta quarta-feira (28). A paciente é uma moradora que viajou para a África e voltou com os sintomas. A Dive-SC mapeia os locais onde ela esteve na cidade desde que voltou da viagem para ver se há risco de contágio.


A Vigilância Ambiental de Joinville visitou a região onde mora a família, informou a prefeitura. Um raio de 500 metros da moradia foi visitado para verificar a presença de insetos transmissores, como o mosquito-prego, do gênero Anopheles.


Os exames para malária na rede estadual são feitos pelo Laboratório de Saúde Publica (Lacen), que faz a análise imediatamente após a chegada da amostra. Os remédios para o tratamento são distribuídos nas Gerências Regionais de Saúde, informou a Dive-SC.


A malária tem cura, mas pode evoluir para formas graves se não for diagnosticada e tratada rapidamente (veja informações sobre a doença abaixo). Não existe vacina.


Segundo a Dive-SC, há risco de contágio da doença se na área houver o mosquito transmissor. Em 2016, houve dois casos em Joinville de pessoas infectadas dentro da cidade.


Neste ano, em Santa Catarina, há um caso confirmado de malária em Rio do Oeste, no Vale do Itajaí, que ainda está em investigação para saber se o contágio ocorreu dentro ou fora do estado.


A Dive-SC também informou que enviará um documento à Secretaria de Saúde de Joinville alertando sobre a sensibilização dos profissionais para a detecção de casos de malária.


Malária


A malária é provocada por protozoários, conforme a Dive-SC. A doença é transmitida pelo mosquito-prego. Quando esse inseto pica a pessoa, injeta o protozoário na corrente sanguínea. Em seguida, esse micro-organismo chega ao fígado e se multiplica rapidamente. Depois, invadem as células sanguíneas e as destroem.


Sintomas:


febre


calafrios


tremores


suor intenso


dor de cabeça


dor no corpo


O paciente também pode ter outros sintomas, como vômito, diarreia, dor abdominal, falta de apetite, tontura e sensação de cansaço. No Brasil, há registro de transmissão de malária na região Norte e no Norte do Mato Grosso.

Fonte: G1

Mais notícias desta categoria

Publicidades


Mario Junior designer