Publicidades

24/01/2020 | 05:07 | Cultura

Juíza determina que candidata mais velha seja empossada presidente do MTG

Facebook de Gilda Galeazzi / Divulgação


A Justiça determinou, nesta quinta-feira (23), que a candidata Gilda Galeazzi, 65 anos, seja empossada como presidente do Movimento Tradicionalista Gaúcho (MTG). Como se trata de uma liminar, o despacho é passível de recurso.


A juíza Carmen Luiza Rosa Constante Barghouti, da 2ª Vara Cível da Comarca de Lajeado afirmou que a candidata mais velha, Gilda, deve ser a nova líder da entidade, citando também que "nas próprias cédulas de votação constavam apenas os nomes das concorrentes ao cargo de presidente (ao lado dos nomes das respectivas chapas)".


Na votação para presidência do MTG, em 11 de janeiro, houve empate entre as candidatas Elenir Winck, 61 anos, e Gilda Galeazzi, 65. A comissão eleitoral da entidade deu a vitória a Elenir porque, apesar de ser mais nova, a chapa dela trazia, entre os integrantes, Wilson Barbosa de Oliveira, de 77 anos — o integrante mais idoso dentre os dois grupos concorrentes.


O MTG afirma que as eleições são parlamentaristas, e não presidencialistas: vota-se todos os anos em uma chapa (equivalente a um partido), e não em um nome para presidente. Essa chapa, segundo a entidade, renova metade do conselho diretor, um grupo de mais de 30 pessoas que, reunido após as eleições, vota em quem assumirá a presidência — nesta escolha, é possível inclusive que um terceiro nome, incluído nesse grupo de mais de 30 integrantes, dispute a presidência. Portanto, segundo a entidade, a idade de todos os inscritos na chapa durante as eleições deve entrar na avaliação para o critério de desempate.


No entanto, Gilda, a candidata derrotada, recorreu à Justiça para suspender a posse de Elenir, que é mais nova.

Fonte: Rádio Colonial

Mais notícias desta categoria

Publicidades


Mario Junior designer