Publicidades

15/09/2020 | 18:43 | Educação

Carga ampliada e investimento em pesquisa: os diferenciais da escola da rede estadual com maior Ideb do RS

Diretora do colégio Madre Madalena, em São José do Inhacorá, falou ao "Gaúcha Mais" desta terça-feira

Reprodução/Internet


Em entrevista ao Gaúcha Mais desta terça-feira (15), Carmeli Escher, diretora da Escola Estadual de Ensino Médio Madre Madalena, em São José do Inhacorá, detalhou o trabalho realizado na instituição, localizada na região noroeste do Estado. A escola é a melhor colocada no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) no Estado entre as públicas que não fazem processo seletivo para o quadro estudantil. 


Os dados, referentes a 2019, foram divulgados nesta terça-feira (15) pelo Ministério da Educação (MEC). De acordo Carmeli, a carga ampliada e investimento em pesquisa foram fundamentais para a instituição obter nota 6 - em uma avaliação que vai de zero a 10. 


— O coletivo dos professores é algo muito forte e encaminha para o resultado positivo. Além disso, a escola desde 2013 tem carga ampliada no Ensino Médio. As outras escolas tem mil horas, nós temos 1.120 horas. O conhecimento é de um volume maior, o tempo entendemos que era insuficiente para dar conta da aprendizagem — explica. 


— Fazemos um investimento forte na pesquisa, ou seja, no conhecimento juvenil. Quando o aluno se percebe agente da sua própria autoria, ele aprende mais e melhor. (...) Nós mudamos o discurso, para que todo mundo consiga se perceber capaz dentro daquilo que gosta de fazer. Ele se torna, de fato, autor de sua história. Não transformamos os alunos em força de trabalho. Eles se perceberem capazes (quando fazem pesquisa). Desenvolvem oralidade, trabalho em equipe, comunicação em público. Acreditamos que está nessa questão o principal diferencial — completa. 


Ainda segundo Carmeli, o resultado foi uma surpresa e uma coroação à união entre os professores e da participação ativa dos pais da comunidade inhacoraense — de 2.200 habitantes, segundo último censo (2010), no município situado a 13 quilômetros de Três de Maio.


— Em 2017, era 5,6 e já estávamos bem colocados. Esperávamos chegar a 5,8 e depois 6,0. Pra nossa grande surpresa, atingimos a meta dois anos antes. Isso é uma alegria que escorre pelos olhos. Não tem como não se sentir assim — comemora. 


Segundo os dados divulgados nesta terça-feira pelo MEC, o Rio Grande do Sul vem pouco a pouco melhorando a qualidade de seu Ensino Médio em escolas públicas e privadas ao longo dos anos, o que aponta para um panorama mais animador, mas não consegue atingir o nível esperado para a etapa desde 2011. Para o Rio Grande do Sul, a meta de 2019 para a última etapa da Educação Básica era de 5,3, mas o resultado ficou longe: 4,2.  


O que é o Ideb


Divulgado a cada dois anos, o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) é um dos principais indicadores da qualidade do ensino público no Brasil. O Ideb permite que toda a sociedade acompanhe se determinada escola ou rede, seja ela municipal ou estadual, está assegurando o direito de aprendizagem dos estudantes.


O Ideb é calculado a partir de duas importantes informações para a educação brasileira: o fluxo escolar (aprovação), obtidos no Censo Escolar, e as médias de desempenho no Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb).


O Ideb é a ferramenta para acompanhamento das metas de qualidade para a educação básica. A meta para 2022 é alcançar média 6, valor correspondente a um sistema educacional de qualidade comparável ao dos países desenvolvidos.

Fonte: Gaúcha ZH

Mais notícias desta categoria

Publicidades


Mario Junior designer